top of page

Entenda o “Terrible Two” - O que é e como passar por essa fase desafiadora


Abordar o “terrible twos” requer sensibilidade. Durante essa fase, as crianças podem apresentar comportamentos desafiadores devido ao desenvolvimento de sua autonomia. Pesquisas indicam que, nesse período, ocorrem avanços significativos no desenvolvimento cognitivo e emocional. É fundamental compreender que esses comportamentos são normais, resultantes do desejo da criança de explorar e afirmar sua independência.


Ao lidar com os pequenos que estão passando por essa fase, é útil adotar uma abordagem positiva e consistente. Da uma olhada nessas dicas que a gente separou:


1. Compreensão do Desenvolvimento:


Se informe sobre os marcos de desenvolvimento típicos dessa fase. As explosões emocionais e comportamentos desafiadores muitas vezes estão ligados ao desejo crescente de independência.


2. Comunicação Clara e Simples:


Procure utilizar linguagem clara e simples ao se comunicar com a criança. Isso ajuda na compreensão e reduz a frustração, promovendo uma interação mais positiva.


3. Estabelecimento de Rotinas:


Crianças nesta idade se beneficiam de rotinas consistentes. Isso proporciona previsibilidade, ajudando-as a se sentir mais seguras. Priorize criar rotinas para atividades diárias, como alimentação e hora de dormir.


4. Oferta de Escolhas Controladas:


Permitir que a criança faça escolhas dentro de limites pré-estabelecidos pode promover um senso de controle. Isso reduz a resistência e incentiva a autonomia, sem comprometer a segurança.


5. Reforço Positivo:


Elogios e reforço positivo são poderosos. Destaque comportamentos desejados para incentivar a repetição. Isso ajuda a construir uma base sólida para o desenvolvimento emocional saudável.


6. Empatia e Validar Emoções:


É importante reconhecer e validar as emoções da criança. Isso ajuda a desenvolver a inteligência emocional e fortalece o vínculo emocional entre pais e filhos.


7. Tempo de Qualidade:


Reserve momentos especiais para interações positivas e construtivas. O tempo de qualidade fortalece os laços afetivos e cria memórias positivas.


É fundamental compreender que esses comportamentos são normais, resultantes do desejo da criança de explorar e afirmar sua independência. Estratégias baseadas em comunicação positiva e estabelecimento de limites consistentes podem ser eficazes para lidar com essa fase. Além disso, é crucial manter uma abordagem empática, reconhecendo as emoções da criança.


Lembrando sempre que cada criança é única, essas estratégias podem ser adaptadas conforme as necessidades individuais e que a paciência é fundamental.


27 visualizações0 comentário

Comentários


bottom of page